Alta da inadimplência das empresas durará ainda alguns meses

O Indicador Serasa Experian de Perspectiva da Inadimplência das Empresas cresceu 0,1% em agosto de 2011, a menor taxa de crescimento dos últimos dez meses.

Como, pela sua metodologia de construção, o indicador tem a propriedade de antever os movimentos cíclicos da inadimplência com seis meses de antecedência, as variações mensais cada vez mais reduzidas deste indicador, acusando quase estabilidade nesta última leitura, sinalizam que a atual trajetória de alta da inadimplência das empresas deverá durar mais alguns meses, devendo entrar numa zona de relativa estabilidade por volta do início do próximo ano.

Indicador de Perstectiva da Inadimplencia das Empresas

Apesar do desaquecimento do ritmo da expansão da economia, o que não favorece a geração de caixa das empresas, as reduções atuais e esperadas da taxa Selic tendem a promover um barateamento do custo financeiro do capital de giro, contribuindo para o encerramento, no médio prazo, do atual ciclo de elevação da inadimplência das empresas, salientam os economistas da Serasa Experian.

Consumidor

O Indicador Serasa Experian de Perspectiva da Inadimplência do Consumidor caiu 1,0% em agosto de 2011, atingindo o patamar de 101,1 pontos, perfazendo a quarta queda mensal consecutiva.

Após ter-se mantido em elevação durante praticamente todo o ano de 2011, o cenário que se abre para a inadimplência do consumidor, pelo menos para o início de 2012, é de declínio. A diminuição da inflação, o patamar historicamente baixo das taxas de desemprego e o crescimento mais moderado do endividamento deverão contribuir para a reversão da atual trajetória de crescimento da inadimplência das pessoas físicas, observam os economistas da Serasa Experian.

Indicador de Perspectiva da Inadimplência do Consumidor

Além disso, a inauguração de um novo ciclo de queda da taxa básica de juros (taxa Selic), reduzindo o custo das dívidas e dinamizando a economia a médio prazo, também favorece à concretização de um cenário mais benigno para a inadimplência dos consumidores a partir do final deste ano.

Metodologia dos Indicadores Serasa Experian de Perspectiva

O objetivo dos Indicadores Serasa Experian de Perspectiva é antever, num horizonte de seis meses, em que fase do ciclo estarão as seguintes variáveis econômicas: (i) atividade econômica, (ii) concessões reais de crédito ao consumidor, (iii) concessões reais de crédito às empresas, (iv) inadimplência do consumidor e (v) inadimplência das empresas. Em geral, as variáveis econômicas apresentam ciclos compostos por quatro fases distintas: (1) expansão, (2) reversão, (3) crise e (4) recuperação. Os Indicadores Serasa Experian de Perspectiva mostrarão, justamente, a posição cíclica, para os próximos seis meses, de cada uma destas variáveis.

Cada Indicador Serasa Experian de Perspectiva é construído analisando-se o poder explicativo e a antecedência de explicação de um universo de 325 variáveis econômicas e financeiras sobre a variável-objetivo. Para tanto, todas as 325 variáveis “candidatas” bem como a variável-objetivo foram filtradas usando-se a técnica de ondaletas, a qual nos permite estudar as relações entre as variáveis “candidatas” a variável-objetivo em diversas escalas de tempo. Hoje, as ondaletas são adotadas em diversos campos, como a física (dinâmica molecular, astrofísica, geofísica – previsão de terremotos, mecânica quântica), processamento de imagem (análise de EEG e DNA, clima, reconhecimento da fala e visão artificial) e compressão de dados (o JPEG 2000 utiliza essa técnica).

No caso, são utilizadas as escalas de tempo compreendidas entre 16 a 32 meses e entre 32 a 64 meses, regiões em que se caracterizam os movimentos dos ciclos econômicos.

Para cada escala de tempo foram selecionadas, das 325 variáveis “candidatas”, aquelas que antecipam, de forma significativa, a variável-objetivo entre 6 e 18 meses de antecedência. Selecionadas as variáveis “candidatas”, estas foram agregadas mediante a aplicação de componentes principais, após terem sido colocadas na mesma fase de 6 meses em relação à variável-objetivo.

O resultado composto, isto é, em cada escala de tempo, dos modelos de projeção entre a variável-objetivo e os componentes principais, colocado em base 100, constitui o Indicador Serasa Experian de Perspectiva.