Alta da inadimplência dos consumidores será revertida

O Indicador Serasa Experian de Perspectiva da Inadimplência do Consumidor caiu 0,1% em julho de 2011, atingindo o patamar de 103,4 pontos. Foi a primeira queda mensal deste indicador em treze meses, ou seja, desde junho do ano passado não se verificava queda na variação mensal desta estatística.

Dado que, pela sua metodologia de construção, o indicador tem a propriedade de antever os movimentos cíclicos da inadimplência com seis meses de antecedência, o recuo em julho aponta que a atual trajetória de elevação da inadimplência do consumidor será revertida, podendo iniciar um movimento de recuo por volta do final deste ano.

Indicador de Perspectiva da Inadimplência do Consumidor

A diminuição do ritmo da inflação comparativamente aos meses iniciais de 2011, a rodada de negociações salariais de importantes categorias profissionais neste segundo semestre, o patamar baixo, em termos históricos, do desemprego e o crescimento mais moderado do endividamento dos consumidores figuram entre os fatores que proporcionarão tal reversão da atual trajetória de alta da inadimplência do consumidor.

Somando-se a isso, a inauguração de um novo ciclo de queda da taxa básica de juros (taxa Selic) também exercerá efeitos benéficos sobre a inadimplência do consumidor por reduzir, ainda que a médio prazo, o custo das dívidas, observam os economistas da Serasa Experian.

Empresas

O Indicador Serasa Experian de Perspectiva da Inadimplência das Empresas cresceu 0,8% em julho de 2011, o nono crescimento mensal consecutivo, atingindo o nível de 100,9.

Apesar do crescimento, esta foi a menor alta do indicador em oito meses, sinalizando que o crescimento da inadimplência das empresas, a exemplo do que ocorreu com a dos consumidores há alguns meses, também começa a vislumbrar algum esgotamento.

Indice de Perspectiva da Inadimplência das Empresas

A redução da taxa Selic, determinada pelo Banco Central ao final de agosto, bem como a sua provável continuidade, amenizarão o processo de desaceleração da economia brasileira além de promover um barateamento do custo do capital para as empresas. Conforme análise dos economistas das Serasa Experian, isto contribuirá para o encerramento, no médio prazo, do atual ciclo de elevação da inadimplência das empresas.

Metodologia dos Indicadores Serasa Experian de Perspectiva

O objetivo dos Indicadores Serasa Experian de Perspectiva é antever, num horizonte de seis meses, em que fase do ciclo estarão as seguintes variáveis econômicas: (i) atividade econômica, (ii) concessões reais de crédito ao consumidor, (iii) concessões reais de crédito às empresas, (iv) inadimplência do consumidor e (v) inadimplência das empresas. Em geral, as variáveis econômicas apresentam ciclos compostos por quatro fases distintas: (1) expansão, (2) reversão, (3) crise e (4) recuperação. Os Indicadores Serasa Experian de Perspectiva mostrarão, justamente, a posição cíclica, para os próximos seis meses, de cada uma destas variáveis.

Cada Indicador Serasa Experian de Perspectiva é construído analisando-se o poder explicativo e a antecedência de explicação de um universo de 325 variáveis econômicas e financeiras sobre a variável-objetivo. Para tanto, todas as 325 variáveis “candidatas” bem como a variável-objetivo foram filtradas usando-se a técnica de ondaletas, a qual nos permite estudar as relações entre as variáveis “candidatas” a variável-objetivo em diversas escalas de tempo. Hoje, as ondaletas são adotadas em diversos campos, como a física (dinâmica molecular, astrofísica, geofísica – previsão de terremotos, mecânica quântica), processamento de imagem (análise de EEG e DNA, clima, reconhecimento da fala e visão artificial) e compressão de dados (o JPEG 2000 utiliza essa técnica).

No caso, são utilizadas as escalas de tempo compreendidas entre 16 a 32 meses e entre 32 a 64 meses, regiões em que se caracterizam os movimentos dos ciclos econômicos.

Para cada escala de tempo foram selecionadas, das 325 variáveis “candidatas”, aquelas que antecipam, de forma significativa, a variável-objetivo entre 6 e 18 meses de antecedência. Selecionadas as variáveis “candidatas”, estas foram agregadas mediante a aplicação de componentes principais, após terem sido colocadas na mesma fase de 6 meses em relação à variável-objetivo.
O resultado composto, isto é, em cada escala de tempo, dos modelos de projeção entre a variável-objetivo e os componentes principais, colocado em base 100, constitui o Indicador Serasa Experian de Perspectiva.