ANFAC comemora 31 anos em prol do factoring

Trajetória de lutas, desafios e vitórias propiciou a institucionalização da atividade de factoring

No último dia 11 de fevereiro, a ANFAC – Associação Nacional das Sociedades de Fomento Mercantil – Factoring, comemorou 31 anos de atividades. Esta trajetória de lutas, desafios e vitórias propiciou à ANFAC institucionalizar a atividade do factoring. Para Luiz Lemos Leite, presidente da ANFAC, quando a entidade deixou a sede no Rio de Janeiro, em dezembro de 1990, transferindo-se para São Paulo, houve uma mudança decisiva e estratégica.

“O Rio de Janeiro começava a passar por problemas sociais, a atividade crescia em bom ritmo em São Paulo, que já despontava como centro polarizador da economia, com os bancos transferindo suas sedes para São Paulo e a Bolsa de Valores do Rio de Janeiro se esvaziando. De fato, a ANFAC tomou novas dimensões o que possibilitou maior disseminação dos conceitos operacionais do factoring e contribuiu para dissipar os efeitos das distorções e preconceitos que ainda pairavam sobre a atividade”, relembra Lemos Leite.

Nesses 31 anos, a estrutura da ANFAC passou por algumas alterações, tendo por paradigma estatutário o mandato de três anos para a diretoria. “Aquela estrutura embrionária dos primórdios da ANFAC, em 1982, foi experimentando, com o tempo, sucessivos processos de atualização, sempre submetidos e discutidos nas assembleias gerais, convocadas com a finalidade de atender ao crescimento da responsabilidade institucional da ANFAC”, complementa o presidente.

Como entidade precursora do fomento mercantil no País, a ANFAC consolidou um arcabouço institucional que é o marco regulatório composto de um conjunto de normativos infralegais emanados da administração pública federal e de atos legislativos infraconstitucionais, que dão amplo respaldo aos negócios desse mercado. Pautados por estes parâmetros, foi estruturado o projeto do Sistema Brasileiro do Fomento, com um conjunto de ações de caráter institucional e corporativo no campo operacional, jurídico, tributário e político, a fim de dar-lhe corpo e forma. “Organizar toda esta complexa estrutura, afirmar a credibilidade do fomento comercial e a identidade da Anfac, conceituada nacional e internacionalmente, e dar sustentação à legalidade do factoring foram desafios vencidos com ousadia e com a contribuição imprescindível das empresas de fomento comercial”, revela Lemos Leite.

Em 2012 a ANFAC atingiu sua maior conquista: a Lei do Factoring. Coube à entidade o papel de interlocutora entre o Governo e as empresas de factoring. “A Lei do Factoring é um anseio antigo do setor, desde a fundação da ANFAC, e agora, finalmente, será uma realidade”, informa Lemos Leite, acrescentando que tudo que existe hoje no mercado de factoring foi emanado da ANFAC.

Parceria e integração

No início, a ANFAC, pela necessidade de fazer-se presente em cada canto do Brasil e para descentralizar a gestão dos interesses corporativos do segmento, criou diversas diretorias regionais, com o objetivo de manter integrado um sistema de apoio operacional. No entanto, a partir de 1990, por força de injunções de mercado, fez-se necessário transformá-las em Sindicatos Patronais, todos, sem exceção, criados pela ANFAC.

Em 2005, nasceu a proposta de celebração de um Pacto Federativo junto aos SINFACS, com o compromisso de fortalecer, valorizar e integrar todos os setores do fomento comercial dentro de uma entidade nacional forte com uma organização corporativa coesa e harmonizada com os objetivos institucionais defendidos pela ANFAC. “A atividade cresceu, expandiu-se e hoje atua com sucesso em todo o País. Hoje, os 18 Sindicatos Patronais, espalhados pelo Brasil, integram o Sistema Brasileiro de Fomento Comercial, protagonizado pela ANFAC e que desenvolve relevante trabalho em nível nacional, em prol do mercado do fomento comercial”, afirma Luiz Lemos Leite.

Para o vice-presidente da ANFAC, Marconi Pereira, a entidade tem sido a grande responsável pelo sucesso dos empresários de um segmento econômico hoje consolidado e que muito tem feito para o desenvolvimento das micro e pequenas empresas. “Temos de fato contribuído para o desenvolvimento econômico brasileiro. Nossa atividade é basicamente de fomento, de incentivo a produção e a atividade econômica. O sucesso de nossos clientes é o nosso sucesso e todo o incentivo e desenvolvimento aferido por nosso segmento está sempre associado a um impacto positivo no desenvolvimento de nossa sociedade”.

Marconi Pereira, que está a frente da PS Factoring, associada da ANFAC desde 1993, comenta que, ao longo desse período, a empresa sempre seguiu a doutrina e os preceitos emanados pela entidade. “Entendemos que a ANFAC é a grande balizadora do fomento mercantil da forma como é praticado em nosso País. Reconhecemos a ANFAC como a grande responsável por termos chegado aonde chegamos. Uma atividade econômica respeitada, com cultura e normas desenvolvidas ao longo desses 31 anos por todas as empresas que participam do sistema e que procuram praticar o fomento mercantil sob um padrão relativamente unânime, o que tem facilitado a construção de conceitos e normas de balizamento da atividade”.

Dario Tomaselli Júnior, da DGS Factoring Fomento Comercial, ressalta que a ANFAC se destaca pelas orientações repassadas aos associados, o apoio e divulgação do segmento e a constante parceria. “Posso afirmar que a ANFAC, na pessoa do Luiz Lemos Leite, desempenhou papel relevante ao sucesso de nosso setor, hoje nacionalmente reconhecido e respeitado. A minha empresa existe há 25 anos e ao longo deste período de muito trabalho e grandes conquistas, a ANFAC sempre esteve ao nosso lado”.

Atualmente a ANFAC possui 600 filiadas, e já realizou 153 cursos de Agente de Fomento Mercantil – Operador de Factoring, ministrados em diversas cidades e capitais do País, conferindo cerca de 7.500 certificados de aproveitamento que são importantes nas carreiras de economistas, administradores, advogados, engenheiros, médicos, contadores, estudantes e empresários dos mais variados setores.