Atividade do comércio encerra o primeiro semestre de 2015 com o pior resultado em 13 anos

De acordo com o Indicador Serasa Experian de Atividade do Comércio, o movimento dos consumidores nas lojas encerrou o primeiro semestre de 2015 com alta de 2,6% frente ao mesmo período do ano passado. Este foi o pior desempenho da atividade varejista do país em 13 anos, ou seja, desde 2003, e o segundo pior de toda a série histórica, perdendo apenas para o tombo de 6,9% observado no primeiro semestre de 2002.

Segundo os economistas da Serasa Experian, a queda dos níveis de confiança dos consumidores, a alta da inflação, das taxas de juros e, mais recentemente, do desemprego, prejudicaram a atividade varejista deste primeiro semestre de 2015, determinando o fraco desempenho observado na movimentação dos consumidores nas lojas de todo o país.

A maior retração do consumidor no primeiro semestre de 2015 deu-se no segmento de veículos, motos e peças, o qual registrou queda de 12,5% frente ao primeiro semestre do ano passado. A segunda maior queda foi de 7,1%, observada no movimento dos consumidores nas lojas de materiais de construção. Também houve recuo de 5,3% no segmento de combustíveis e lubrificantes neste primeiro semestre de 2015.

Já no campo positivo, observamos altas de 5,8% do movimento dos consumidores nas lojas de tecidos, vestuário, calçados e acessórios; de 5,2% nas lojas de móveis, eletroeletrônicos e equipamentos de informática; e de 2,0% nos supermercados, hipermercados, alimentos e bebidas.

Metodologia do Indicador Serasa Experian de Atividade do Comércio

O Indicador Serasa Experian de Atividade do Comércio é construído, exclusivamente, pelo volume de consultas mensais realizadas por estabelecimentos comerciais à base de dados da Serasa Experian. As consultas (nas formas de taxas de crescimentos) são tratadas estatisticamente pelo método das médias aparadas com corte de 20% nas extremidades superiores e inferiores. Com as taxas de crescimento tratadas e ponderadas pelo volume de consultas de cada empresa comercial é construída a série do indicador. A amostra é composta de cerca de 6.000 empresas comerciais e o indicador, com início em janeiro de 2000, é segmentado em seis ramos de atividade comercial.