Atividade econômica abre o segundo semestre em queda

De acordo com o Indicador Serasa Experian de Atividade Econômica, houve recuo mensal de 0,6% no ritmo dos negócios em julho/13, já descontados os fatores sazonais Com isto, a atividade produtiva do país abriu a segunda metade do ano em queda. Na comparação com o mesmo mês do ano passado (julho/12), o crescimento foi de 2,5%, representando desaceleração em relação à alta de 2,7% verificada na comparação de junho/13 contra junho/12. No acumulado do ano até julho/13, a atividade econômica manteve o ritmo de expansão de 2,6%, o mesmo verificado no acumulado do ano até junho/13.

De acordo com os economistas da Serasa Experian, a onda de protestos de junho/julho, a redução dos níveis de confiança dos empresários e a escalada do dólar pesaram negativamente sobre o desempenho da atividade econômica em julho/13, prenunciando um crescimento mais fraco para o PIB no terceiro trimestre, após ter se expandido em 1,5% no segundo trimestre deste ano.

O resultado da atividade econômica na abertura do segundo semestre foi impactado negativamente pelo desempenho da produção agropecuária (recuo mensal de 1,6%) e pela queda mensal de 1,1% da atividade industrial. Por sua vez, o setor de serviços exibiu crescimento de apenas 0,1% em julho/13.

Pelo lado da demanda agregada, as expansões de 1,3% do consumo das famílias e de 1,4% do consumo do governo foram mais que compensadas pelas quedas de 2,1% nos investimentos e de 11,9% das exportações ocorridas em julho/13. Ainda contribuindo negativamente para o crescimento da atividade econômica em julho/13, houve variação positiva de 2,3% das importações (que entram com sinal negativo na composição agregada do PIB).