Aumento de aversão a risco traz perdas para emergentes

A aversão ao risco, mais uma vez, deu o tom às aplicações financeiras internacionais na semana passada, levando os investidores a fugir de fundos de ações, principalmente aqueles voltados aos principais mercados emergentes.

Os números mostram que os fundos de ações dedicados ao Brasil registraram resgates de US$ 204,56 milhões na semana encerrada dia 20, segundo dados da consultoria americana EPFR Global, que acompanha a movimentação dos portfólios internacionais. No acumulado do ano, os saques nas carteiras somam US$ 439,56 milhões.

Nem mesmo a aprovação pelos líderes da zona do euro do pacote de ajuda econômica à Grécia foi suficiente para animar os investidores para o risco. Além da expectativa com a Grécia, os investidores passaram a semana no aguardo da votação sobre o novo teto para o endividamento americano. Enquanto se estendem as negociações para elevar o limite da dívida do governo, hoje de US$ 14,3 trilhões, os investidores seguem preocupados, embora a maioria das instituições financeiras acredite que o país conseguirá a aprovação e pagará suas obrigações.

A saída de recursos nos portfólios brasileiros puxou para baixo também os dados relativos aos fundos de ações de America Latina. Essas carteiras registraram fuga de US$ 143,15 milhões na semana, segundo os dados da EPFR. No ano, até o dia 20, os resgates chegam a US$ 2,524 bilhões.

Os fundos de ações dedicados ao grupo dos Bric (sigla para Brasil, Rússia, Índia e China) também não resistiram ao cenário de incertezas. Essas carteiras apresentaram saídas de US$ 223,22 milhões na semana encerrada dia 20, de acordo com a consultoria. No ano, as perdas chegam a US$ 3,305 bilhões.

No caso da China, as carteiras que aplicam na bolsa chinesa encerraram a semana com resgates de US$ 261,33 milhões, enquanto no ano a perda soma US$ 1,6 bilhão. Na Índia, a situação não foi diferente: saída de US$ 71,30 milhões na semana encerrada dia 20 e de US$ 1,796 bilhão em 2011.

Já a Rússia registrou saques de US$ 158,88 milhões no período mais recente. Os portfólios dedicados a investir em ações no mercado russo são dos poucos que ainda acumulam captação no ano, de US$ 3,2 bilhões.

Os fundos de ações voltados à bolsa americana apresentaram saídas de R$ 2,522 bilhões na semana encerrada dia 20. No ano, esses portfólios têm forte captação, no valor de US$ 22,453 bilhões.