Bancos brasileiros na mira de investidores

Apesar da desconfiança dos investidores em relação a todo o sistema financeiro mundial, os bancos brasileiros são considerados boa oportunidade para quem quiser aplicar seus recursos em ações. O Índice Financeiro da BM&F Bovespa (IFNC) acumula queda de 19,65% este ano, com diminuição de 1,85% em setembro. Na quarta-feira, o índice fechou em alta, de 0,91%.

Esta queda, segundo analistas, torna as ações de grandes bancos brasileiros muito baratas. A recomendação da Planner Corretora é de compra, com destaque para os papéis do Banco do Brasil. Ontem, os papéis do BB ficaram em alta de 0,16% e valor de fechamento de R$ 23,60. Para a Planner, o preço-alvo é de R$ 42,30, valorização de 79% ante o atual.

Os principais índices do mercado de ações da Europa fecharam em alta ontem, auxiliados pelas esperanças dos investidores de uma ação coordenada para recapitalizar o setor bancário, e superaram o impacto do rebaixamento do bônus do governo da Itália pela Moodys.

Mais cedo os ministros das Finanças da UE informaram que estão estudando maneiras de coordenar operações de recapitalização de instituições financeiras, tendo concordado que são necessárias medidas adicionais e urgentes para apoiar os bancos da região.

Também o governo francês e O belga disseram que vão tomar “todas as medidas necessárias” para escorar o Dexia, tranquilizando os investidores.

Outro fato que ajudou a reverter as perdas nas bolsas mundiais foi a declaração da chanceler alemã, Angela Merkel, de que os países da zona do euro poderão recorrer à Linha de Estabilidade Financeira Europeia (EFSF) para recapitalizar os bancos caso não tenham capacidade para fazer isso sozinhos.