Brasileiros preferem gastar a economizar, revela Credit Suisse

Brasileiros preferem gastar a economizar, aponta estudo feito pelo Credit Suisse – Second Annual Emerging Consumer Survey, que analisou o comportamento dos consumidores dos principais países emergentes.

Além de gostar mais de consumir do que economizar, o levantamento ainda revelou que os brasileiros têm um grande apetite por ativos reais e palpáveis, como um imóvel, deixando para segundo plano os ativos financeiros.

Bom momento econômico

No estudo do Credit Suisse, divulgado na última terça-feira (17), o Brasil foi apontado como o País mais otimista entre os emergentes, como China, Índia e Rússia. O banco ainda pontuou o bom momento econômico vivido pelos brasileiros, que dá sustentação ao aumento do consumo no País.

De acordo com os dados, 58% dos brasileiros entrevistados disseram que esperam uma melhora em suas finanças pessoais nos próximos seis meses. Essa foi a maior taxa observada entre todos os países pesquisados. “O forte aumento nominal na renda no último ano também protegeu os consumidores brasileiros da inflação, mais do que em qualquer outro país”, analisa o estudo.

A pesquisa revela que esse comportamento mais consumista se mostrou ainda mais robusto no último ano. Por fim, das categorias analisadas, a penetração da tecnologia no Brasil fica em destaque, com um dos melhores resultados.

Quando o assunto são os imóveis, os brasileiros mostram as maiores taxas relativas à intenção de compra, em relação aos demais países estudados. Essa intenção de compra também mostrou alta frente à última análise, no ano passado.

Além disso, 73% dos entrevistados esperam que os preços dos imóveis vão subir, porcentagem também maior do que nos demais países do BRIC (Brasil, Rússia, Índia e China). Considerando o histórico de altas taxas de inflação, os imóveis parecem estar entre os investimentos mais atrativos para os brasileiros, finaliza o estudo.