Com decisão do Copom, Brasil mantém segunda posição de ranking de juros nominais

O Copom (Comitê de Política Monetária) decidiu, nesta quarta-feira (20), aumentar a taxa básica de juro em 0,25 ponto percentual, elevando a Selic para 12,50% ao ano. Com a decisão, o Brasil mantém a segunda posição do ranking de juros nominais, de acordo com estudo preparado pelo analista econômico da Cruzeiro do Sul Corretora / Apregoa.com, Jason Vieira, envolvendo 40 países.

O Brasil só perde para a Venezuela, onde a taxa de juros nominal está em 17,41% ao ano.

Top 5

A tabela abaixo mostra os cinco países com a maiores taxas nominais e as cinco nações com as menores taxas. Confira:

Ranking de juros nominais
Posição País Taxa Posição País Taxa
Venezuela 17,41% ao ano 36ª Inglaterra

0,50% ao ano

Brasil 12,50% ao ano 37ª EUA 0,25% ao ano
Argentina 9,60% ao ano 38ª Suíça 0,25% ao ano
Rússia 8,25% ao ano 39ª Japão 0,10% ao ano
Indonésia 6,75% ao ano 40ª Ciingapura 0% ao ano

Juros reais

A decisão do Comitê manteve o Brasil no topo da lista de juros reais, com taxa de 6,8% ao ano, bem à frente de Hungria (2,4%), Chile (1,8%) e Austrália (1,4%), que ocupam a segunda, terceira e quarta posições, nesta ordem.

De acordo com o analista, para perder esse posto, a Selic deveria cair 5 pontos percentuais, passando para 7,25% ao ano.