Copom acelera ritmo e corta juro básico em 0,75 ponto

Os membros do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central optaram nesta quarta-feira (7/3) por continuar a trajetória de queda da taxa básica de juros (Selic), derrubando-a para 9,75% ao ano.

Sem viés, a segunda decisão de política monetária do ano não foi unânime, sendo cinco votos a favor da decisão e dois votos pela redução da taxa Selic em 0,5 ponto percentual.

Para argumentar a atualização da referência econômica, o BC não fez menção ao cenário externo e se limitou a afirmar que deu “seguimento ao processo de ajuste das condições monetárias.”

Trata-se da quinta queda consecutiva da taxa básica de juros. A Selic em um dígito não era vista desde abril de 2010.

Inicialmente era esperado um corte de 0,5 ponto percentual nessa reunião. Contudo, diante da maior preocupação do governo com o câmbio, as expectativas já apontavam para uma redução de 0,75 ponto percentual, e o mercado não excluía a possibilidade de um corte mais agressivo nos juros, de 1 ponto.

“A questão cambial, que voltou ao centro do debate econômico recentemente, também deve pesar na decisão do Copom, tendo em vista que o grande diferencial de juros entre o Brasil e o resto do mundo é o principal atrativo para o capital internacional que aporta no país, pressionando a valorização do real”, afirmou Flávio Combat, economista-chefe da Concórdia Corretora, em relatório.

Considerando a última projeção do boletim Focus, compilado pelo BC, em que as instituições preveem a Selic em 9,5% ao final do ano, será implementado ainda mais um corte de 0,25 ponto neste ano.

Para 2013, os economistas estimam a Selic em 10,50%.

Agora, a atenção volta-se para a ata de política monetária, que será publicada na próxima quinta-feria (15/3). Já o Copom se reúne novamente nos dias 17 e 18 de abril.