Demanda das empresas por crédito fica praticamente estável em novembro

De acordo com o Indicador Serasa Experian da Demanda das Empresas por Crédito, a quantidade de empresas que procurou crédito recuou 0,1% em novembro/11 na comparação com o mês imediatamente anterior. Ou seja, manteve-se praticamente estável após ter registrado duas quedas consecutivas e significativas nos meses de setembro/11 (-6,7%) e outubro/11 (-4,2%).

Em relação ao mesmo mês do ano passado (novembro/10) houve avanço de apenas 0,8% na demanda das empresas por crédito. No acumulado do ano, isto é, de janeiro a novembro, a busca das empresas por crédito avançou 2,9% em relação ao mesmo período de 2010.

De acordo com os economistas da Serasa Experian, apesar do atual processo de redução da taxa básica de juros (taxa Selic), a desaceleração interna e o quadro conjuntural externo adverso ainda pesaram desfavoravelmente sobre a busca das empresas por crédito, mantendo-a em estagnação durante o mês de novembro/11.

Análise por porte

As micro e pequenas empresas, diferentemente das médias e grandes empresas, recuaram a sua demanda por crédito durante o mês de novembro/11 (queda de 0,2% frente a outubro/11). Na direção contrária, houve crescimento na procura por crédito das médias e grandes empresas no mês passado: altas de 1,2% (médias empresas) e de 2,0% (grandes empresas), na comparação com outubro/11.

O crescimento das demandas por crédito das médias e grandes empresas, indo na direção contrária do que ocorreu com as micro e pequenas empresas, reforça a hipótese de que diante do agravamento do quadro financeiro externo, as médias e grandes empresas estão se voltando para fontes internas de financiamento, num movimento semelhante ao ocorrido na crise de 2008.

Análise por região

As regiões Sul e Sudeste acusaram recuos nas demandas de suas empresas por crédito em novembro/11: quedas de 0,2% e de 0,9%, respectivamente, perante o mês de outubro/11. Já nas demais regiões houve crescimento da busca empresarial por crédito, com destaque para a região Nordeste cuja expansão foi de 2,3% em novembro/11 frente ao mês imediatamente anterior.

No acumulado de janeiro a novembro de 2011 a região Sul lidera a procura das empresas por crédito neste ano de 2011: alta de 4,6% em relação a 2010. Em seguida, aparecem as regiões Sudeste (3,0%), Centro-Oeste (2,8%) e Nordeste (1,7%). O menor crescimento do ano foi verificado na Região Norte (queda de 0,2% em relação a acumulado de janeiro a novembro de 2010).

Análise por setor

As empresas industriais e de serviços acusaram recuos na busca por crédito em novembro/11, apresentando variações de -0,4% e de -0,2%, respectivamente. Somente as empresas do comércio é que cresceram sua demanda por crédito no mês passado: alta de 0,2% frente a outubro/11.

No acumulado do ano, empresas do setor de serviços, menos impactadas pela concorrência internacional bem como também pela alta dos juros internos, ainda continuam se destacando em termos do crescimento de suas demandas por crédito (alta de 6,3% frente a janeiro a novembro de 2010). Em seguida as empresas industriais registram avanço de 3,5% no acumulado de janeiro a novembro de 2011, e as empresas do setor comercial exibem alta de 0,4% na busca por crédito, neste mesmo período de comparação.

Metodologia do indicador

O Indicador Serasa Experian da Demanda das Empresas por Crédito é construído a partir de uma amostra significativa de CNPJs – cerca de 1,2 milhão –, consultados mensalmente na base de dados da Serasa Experian. A quantidade de CNPJs consultados, especificamente nas transações que configuram alguma relação creditícia entre as empresas e as instituições do sistema financeiro ou empresas não financeiras, é transformada em número índice (média de 2008 = 100).

O indicador é segmentado por região geográfica, setor e porte.