Demanda do consumidor por crédito abre 2017 em queda

De acordo com o Indicador Serasa Experian da Demanda do Consumidor por Crédito, a quantidade de pessoas que buscou crédito caiu 1,7% em janeiro/17 na comparação com dezembro/16. Já em relação ao mesmo mês do ano passado (jan/16), a demanda do consumidor por crédito avançou 0,5%.

De acordo com os economistas da Serasa Experian, apesar do recuo da inflação e da aceleração da queda dos juros básicos (taxa selic), o consumidor ainda se encontra bastante endividado, com grau de confiança deprimido e ainda enfrentando uma conjuntura bastante adversa em termos de desemprego. Por isto, continua bastante conservador em termos de busca por crédito.

Análise por classe de renda pessoal mensal

As classes de renda mais baixa foram as que exibiram os maiores recuos em janeiro/17 na demanda por crédito. Para os que ganham até R$ 500, a queda foi de 2,2%. Para os consumidores com renda mensal entre R$ 500 e R$ 1.000, a baixa foi de 1,6%. Para a renda mensal entre R$ 1.000 e R$ 2.000, o recuo foi de 1,4%. Já os consumidores com renda mensal entre R$ 2.000 e R$ 5.000, a queda foi de 1,5%. Já para os que ganham entre R$ 5.000 e R$ 10.000 por mês, a redução foi de 1,3% e, por fim, para a renda mensal maior que R$ 10.000, a retração na procura por crédito foi de 1,3% neste primeiro mês de 2017.

Na comparação com o mesmo mês do ano passado, a procura do consumidor por crédito apresentou oscilações positivas na baixa renda: alta de 0,2% para quem recebe até R$ 500 por mês; de 0,7% para quem ganha entre R$ 500 e R$ 1.000 mensais; e 0,8% para os que recebem entre R$ 1.000 e R$ 2.000 por mês. Já nas rendas mais altas, oscilações negativas na procura por crédito em janeiro/17 na comparação com janeiro/16: -0,2% para a faixa de renda entre R$ 2.000 e R$ 5.000 mensais; -1,0% para o consumidor com renda entre R$ 5.000 e R$ 10.000 por mês como também para quem ganha mais de R$ 10.000.

Análise por região

O recuo da demanda por crédito em janeiro/17 ocorreu eu todas as regiões do país. Na Região Sul, a retração foi a maior: -3,9% em relação a dezembro/16. No Centro-Oeste a queda foi de 2,7%. No Nordeste, o recuo foi de 1,4%. Já no Sudeste e Norte, as quedas na demanda do consumidor por crédito no primeiro mês deste ano foram idênticas: -0,7% em relação a dezembro/16.

Na comparação interanual, isto é, janeiro/17 contra janeiro/16, houve recuo da demanda por crédito no Norte (-5,1%); Centro-Oeste (-1,1%) e Nordeste (-0,2%). Na direção contrária, houve avanço na demanda do consumidor por crédito no Sul (+3,7%) e no Sudeste (+0,6%).

Metodologia do indicador

O Indicador Serasa Experian da Demanda do Consumidor por Crédito é construído a partir de uma amostra significativa de CPFs, consultados mensalmente na base de dados da Serasa Experian. A quantidade de CPFs consultados, especificamente nas transações que configuram alguma relação creditícia entre os consumidores e instituições do sistema financeiro ou empresas não financeiras, é transformada em número índice (média de 2008 = 100). O indicador é segmentado por região geográfica e por classe de rendimento mensal.