Endividados devem ter cautela nas compras parceladas para o Natal

Falta pouco para o Natal e com a entrada do 13º começa a corrida para as compras de final de ano. No entanto, os economistas da Serasa Experian recomendam aos consumidores endividados cautela na hora das compras e atenção aos prazos longos de financiamento para não comprometerem ainda mais a sua renda.

Segundo os economistas da empresa, não há problemas em parcelar os presentes, mas acumular dívidas envolve maior incerteza e no próximo ano a renda do trabalhador não deverá crescer como em 2011 e 2010. Os economistas alertam também o consumidor que renegociou sua dívidas, aproveitando a primeira parcela do 13º, para ter cautela nos gastos de Natal, de forma a para não fazer novas dívidas e evitar de ficar inadimplente novamente. É bom destacar para quem estiver pagando renegociação de outras dívidas, que esta deve ser priorizada.

Para quem está endividado ou inadimplente e perdeu o controle das contas é aconselhável que busque a renegociação, alertam os economistas. Com a chegada do 13º salário, os consumidores têm a oportunidade de organizar sua vida financeira. Ele mesmo pode quitar ou renegociar suas dívidas diretamente com os credores e regularizar suas pendências sem precisar contratar serviços de terceiros.

Quanto aos parcelamentos de longo prazo, cabe esclarecer que envolvem maiores incertezas, como por exemplo a perda de emprego, enfermidade na família , entre outros, portanto, o consumidor deve comprometer apenas uma parcela menor de sua renda, para que numa eventualidade não tenha que reduzir seu patrimônio.

O consumidor deve evitar recorrer às linhas caras de crédito, a exemplo do pagamento mínimo do cartão de crédito e do crédito em conta corrente (cheque especial) como opção de obter recursos para as compras de Natal. Cheque pré-datado, deve ser utilizado com disciplina, já que exige controle maior do consumidor em conferir seu extrato bancário e junto com o canhoto no talonário.

O consumidor deve lembrar que em janeiro há o pagamento do IPVA, IPTU e despesas escolares.