Faturamento do varejo nesta Páscoa será superior ao de 2011

A Pesquisa Serasa Experian de Expectativa Empresarial para a Páscoa 2012 mostra que a parcela de varejistas que esperam um faturamento maior nesta data é de 52% dos entrevistados, a terceira maior marca em sete anos. Em 2011, os otimistas eram 49% dos respondentes. Nesta Páscoa, 36% acham que vão repetir o faturamento de 2011 e 12% apostam em queda.

A Pesquisa Serasa Experian para a Páscoa 2012 entrevistou 1.014 empresários do varejo em todo o país, de todos os segmentos e portes, e foi a campo de 6 a 13 de março.

Análise por porte

As grandes empresas do varejo são as mais otimistas com a Páscoa 2012, de acordo com 73% de seus empresários. Esta opinião é compartilhada por 62% nas médias empresas e 51% nas pequenas.

Análise regional

Os varejistas da Região Sul são os mais otimistas com a data: 53%. Praticamente em empate técnico estão o Nordeste com 52% e o Sudeste com 51%. Na sequência estão as regiões Norte, com 48%, e a Centro-Oeste, com 47%.

Presentes

Como não poderia ser diferente, os ovos de chocolate serão os principais presentes, representando 86% das vendas. As outras opções são roupas, sapatos e acessórios com 3%; celulares e smartphones 2%; eletrônicos 2%; alimentos de época (bacalhau, colomba etc) 1%; brinquedos 1%; produtos de informática 1%; joias, relógios e canetas 1%; perfumaria e cosméticos 1% e outros 2%.

Na Páscoa 2011, as preferências por presentes foram ovos de chocolate 91%; roupas, sapatos e acessórios 4%; celulares e smartphones 2%; eletrônicos 1%; brinquedos 1%; perfumaria e cosméticos 1% e outros 1%.

Gasto médio

Para 64% dos varejistas, o gasto médio dos consumidores na data será de R$ 50. Para 24%, entre R$ 51 e R$ 100; para 8% de R$ 101 a R$ 200; para 2% de R$ 201 a R$ 300; para 1% de R$ 301 a R$ 500 e para 1% acima e R$ 500.

Na Páscoa 2011, para 70% dos varejistas o gasto médio esperado dos consumidores era de R$ 50. Para 20%, entre R$ 51 e R$ 100; para 7% de R$ 101 a R$ 200; para 2% de R$ 201 a R$ 300 e para 1% de R$ 301 a R$ 500.

Composição das vendas

Nesta Páscoa, de acordo com os entrevistados, 49% das compras serão à vista e 51% a prazo. Na Páscoa 2011 essa relação era equilibrada, de 50% para cada modalidade.

Meios de pagamento

Na opinião dos varejistas, nesta Páscoa as vendas à vista serão compostas de 43% em dinheiro; cartão de crédito 23%; cartão de débito 19%; cheque 14% e cartão da própria loja 1%. As venda a prazo serão assim distribuídas: cartão de crédito parcelado 47%; cheque pré-datado 25%; financiamento ou crediário 20%; cartão de débito parcelado 4%; cartão da própria loja parcelado 2% e outros 2%.

Na Páscoa 2011, as vendas à vista foram 40% em dinheiro; cartão de crédito 23%; cartão de débito 18%; cheque 17%; cartão da própria loja 1% e outros 1%. As vendas a prazo eram assim distribuídas: cartão de crédito parcelado 45%; cheque pré-datado 27%; financiamento ou crediário 18%; cartão de débito parcelado 4%; cartão da própria loja parcelado 2% e outros 4%.

Parcelamento

Nesta Páscoa, os cheques pré-datados serão aceitos em até quatro vezes. O cartão de crédito deve dividir em seis parcelas, da mesma forma que o financiamento ou crediário.

Na Páscoa 2011, os prazos praticados foram um pouco mais longos: cheque pré-datado e cartão de crédito em até seis vezes e financiamento ou crediário em até 10 parcelas.

Comentários

Os varejistas estão mais otimistas com a Páscoa deste ano, na comparação com a de 2011. A Páscoa no ano passado aconteceu durante a vigência das medidas macroprudenciais, para controle da inflação, com o ciclo de elevação dos juros, o que fez com que o consumidor preferisse a compra dos tradicionais ovos de Páscoa, que possui várias opções de preço.

Nesta Páscoa 2012, há consumidores que estão diversificando os presentes entre roupas, sapatos e acessórios, celulares e smartphones e eletrônicos, estas duas últimas categorias mais dependentes de parcelamento.

Sobre o gasto médio, é interessante notar que nesta Páscoa crescem, na comparação com a Páscoa 2011, as faixas entre R$ 51 e R$ 100, R$ 101 a R$ 200 e aparece pela primeira vez, mesmo com 1% dos entrevistados, a faixa acima de R$ 500.

Sobre os meios de pagamentos, na venda à vista, Páscoa 2012/ 2011, crescem as compras com dinheiro e cartão de débito. Nas a prazo, crescem as vendas parceladas com cartão de crédito e financiamentos/ crediário.

De forma geral, as respostas da pesquisa mostram boa diposição do varejista e indicam que a Páscoa 2012 já reflete as medidas de estímulo ao consumo e à redução dos juros.