Inadimplência das empresas continuará elevada neste semestre

O Indicador Serasa Experian de Perspectiva da Inadimplência das Empresas cresceu 0,2% em fevereiro de 2012, atingindo o valor de 103,3. Como, pela sua metodologia de construção, o indicador tem a propriedade de antever os movimentos cíclicos da inadimplência com seis meses de antecedência, em média, o fato de o indicador permanecer acima do nível 100 sinaliza que a inadimplência das empresas ficará em patamar elevado neste primeiro semestre.

O lento processo de reativação do crescimento econômico, a alta da inadimplência dos consumidores, a fraca conjuntura internacional e o custo financeiro ainda bastante elevado para as empresas, apesar das sucessivas quedas da taxa Selic, tenderão a manter pressionado o nível de inadimplemento das empresas, observam os economistas da Serasa Experian.

Consumidor

O Indicador Serasa Experian de Perspectiva da Inadimplência do Consumidor recuou 1,3% em fevereiro de 2012, a oitava queda consecutiva, atingindo o patamar de 98,5 pontos. A sequência de quedas deste indicador, observada em pouco mais de seis meses, aponta para uma trajetória de declínio gradual da inadimplência dos consumidores, a qual deverá ocorrer após passado o período sazonalmente desfavorável deste primeiro trimestre de 2012.

De acordo com os economistas da Serasa Experian, o recuo da inflação, o aumento de 14% do salário-mínimo nacional, a manutenção de patamares historicamente baixos das taxas de desemprego, a continuidade da redução das taxas de juros e o crescimento mais moderado do endividamento do consumidor deverão contribuir para melhorar o cenário para a inadimplência das pessoas físicas ao longo de 2012.

Metodologia dos Indicadores Serasa Experian de Perspectiva

O objetivo dos Indicadores Serasa Experian de Perspectiva é antever, num horizonte de seis meses, em que fase do ciclo estarão as seguintes variáveis econômicas: (i) atividade econômica, (ii) concessões reais de crédito ao consumidor, (iii) concessões reais de crédito às empresas, (iv) inadimplência do consumidor e (v) inadimplência das empresas. Em geral, as variáveis econômicas apresentam ciclos compostos por quatro fases distintas: (1) expansão, (2) reversão, (3) crise e (4) recuperação. Os Indicadores Serasa Experian de Perspectiva mostrarão, justamente, a posição cíclica, para os próximos seis meses, de cada uma destas variáveis.

Cada Indicador Serasa Experian de Perspectiva é construído analisando-se o poder explicativo e a antecedência de explicação de um universo de 325 variáveis econômicas e financeiras sobre a variável-objetivo. Para tanto, todas as 325 variáveis ?candidatas? bem como a variável-objetivo foram filtradas usando-se a técnica de ondaletas, a qual nos permite estudar as relações entre as variáveis ?candidatas? a variável-objetivo em diversas escalas de tempo. Hoje, as ondaletas são adotadas em diversos campos, como a física (dinâmica molecular, astrofísica, geofísica – previsão de terremotos, mecânica quântica), processamento de imagem (análise de EEG e DNA, clima, reconhecimento da fala e visão artificial) e compressão de dados (o JPEG 2000 utiliza essa técnica).

No caso, são utilizadas as escalas de tempo compreendidas entre 16 a 32 meses e entre 32 a 64 meses, regiões em que se caracterizam os movimentos dos ciclos econômicos.

Para cada escala de tempo foram selecionadas, das 325 variáveis ?candidatas?, aquelas que antecipam, de forma significativa, a variável-objetivo entre 6 e 18 meses de antecedência. Selecionadas as variáveis ?candidatas?, estas foram agregadas mediante a aplicação de componentes principais, após terem sido colocadas na mesma fase de 6 meses em relação à variável-objetivo.
O resultado composto, isto é, em cada escala de tempo, dos modelos de projeção entre a variável-objetivo e os componentes principais, colocado em base 100, constitui o Indicador Serasa Experian de Perspectiva.