Inadimplência das empresas cresce em maio

Todas as modalidades de dívidas apresentaram alta no mês

O Indicador Serasa Experian de Inadimplência das Empresas registrou alta de 5,3% em maio, na comparação com abril deste ano, representando o terceiro crescimento mensal consecutivo. Na variação anual – maio de 2014 contra o mesmo mês de 2013 – o indicador cresceu 10,5%. No acumulado dos primeiros cinco meses do ano, na comparação com o mesmo período do ano passado, o índice também subiu 7,0%.

De acordo com os economistas da Serasa Experian, a inadimplência das empresas tem aumentado ao longo deste ano de 2014 devido ao impacto adversos advindos do enfraquecimento do ritmo da atividade econômica, diminuindo a geração de caixa das empresas, da elevação dos salários acima da produtividade na maioria dos setores econômicos, e da sequencia de elevações das taxas de juros como forma de controle inflacionário, aumentando o custo do capital de giro.

Todas as modalidades da inadimplência das empresas apresentaram alta em maio de 2014. As dívidas não bancárias (junto aos cartões de crédito, financeiras, lojas em geral e prestadoras de serviços como telefonia e fornecimento de energia elétrica, água etc.) e a inadimplência com os bancos cresceram 1,7% e 2,8%, com ambas as contribuições de 0,6 p.p.. Os títulos protestados e os cheques sem fundos também apresentaram aumento de 12,5% e 6,1%, com contribuições de 2,9 p.p. e 1,1 p.p., respectivamente. Veja os dados completos na tabela abaixo:

Decomposição do Indicador Serasa Experian de Inadimplência das Empresas

Mai 2014 X Abr 2014

Dívidas não bancárias

Bancos

Protestos

Cheques

Total

Variação (%)

1,7

2,8

12,5

6,1

5,3

Peso (%)

36,9

21,8

23,4

17,9

100,0

Contribuição (p.p.)

0,6

0,6

2,9

1,1

5,3

Cai o valor médio dos cheques sem fundos

O valor médio dos cheques sem fundos caiu 15,1% no acumulado dos primeiros cinco meses de 2014, na comparação com o mesmo período do ano anterior. O valor médio das dívidas com os bancos também apresentaram declínio de 3,7%. Já o valor médio dos títulos protestados e das dívidas não bancárias registraram altas de 8,9% e 7,0%, respectivamente. Confira mais informações na tabela abaixo:

Modalidades de Inadimplência

Valor médio das dívidas Jan a Mai 2013

Valor médio das dívidas Jan a Mai 2014

Variação (%)

Cheques sem fundos

R$ 2.601,23

R$ 2.207,71

-15,1%

Dívidas com os bancos

R$ 5.212,82

R$ 5.019,79

-3,7%

Títulos protestados

R$ 1.999,46

R$ 2.178,08

8,9%

Dívidas não bancárias

R$ 802,36

R$ 858,52

7,0%

A série histórica deste indicador está disponível em: http://www.serasaexperian.com.br/release/indicadores/inadimplencia_empresas.htm