Inadimplência das empresas tem a maior alta em dois anos para o mês de março

A inadimplência das pessoas jurídicas cresceu 18,8% em março, na relação ante igual mês do ano anterior, conforme revela o Indicador Serasa Experian de Inadimplência das Empresas. Foi a maior alta verificada em dois anos, considerando-se o mês de março.

A inadimplência nos negócios também apresentou elevação nas variações mensal e acumulada. Na relação de março sobre fevereiro, o avanço foi de 11,6%. Na comparação entre os acumulados de janeiro a março de 2012 e igual período de 2011, por sua vez, o crescimento foi de 21,1%.

De acordo com os economistas da Serasa Experian, março teve maior número de dias úteis, em razão do Carnaval em fevereiro. Isso contribuiu para que muitas ocorrências de inadimplência de fevereiro fossem registradas em março, elevando o indicador. Além disso, o aumento da inadimplência do consumidor e o crédito para empresas ainda com juros elevados também pressionaram a inadimplência. Cabe lembrar que nesse mês, a indústria alimentícia estava produzindo chocolate para a Páscoa e parte do varejo estava formando estoque, ambas as atividades demandando maior volume de crédito.

Na relação anual, março 2012/2011, deve ser destacado que no ano passado o Carnaval caiu em março, definindo menor número de dias úteis na base de comparação. Portanto a evolução da inadimplência em março 2012 já era esperada.

*Confira abaixo a decomposição do indicador.

Valor médio das dívidas

No primeiro trimestre do ano, as dívidas não bancárias (cartões de crédito, financeiras, lojas em geral e prestadoras de serviços como telefonia e fornecimento de energia elétrica e água) tiveram um valor médio de R$ 783,40, o que representou um crescimento de 3,4% ante igual período de 2011.

As dívidas com bancos, por sua vez, tiveram nos três primeiros meses de 2012 um valor médio de R$ 5.273,76, resultando em 2,8% de alta na relação com o acumulado de janeiro a março do ano anterior.
Quanto aos títulos protestados, o valor médio verificado no primeiro trimestre foi de R$ 1.884,80, com elevação de 11,7% sobre igual acumulado de 2011.

Por fim, os cheques sem fundos tiveram, nos três primeiros meses de 2012, um valor médio de R$ 2.210,76, representando um aumento de 9,0%, quando comparado com o primeiro trimestre do ano anterior.

Metodologia

O Indicador Serasa Experian de Inadimplência das Empresas, por analisar eventos ocorridos em todo o Brasil, reflete o comportamento da inadimplência em âmbito nacional. O indicador considera as variações registradas no número de cheques sem fundos, títulos protestados e dívidas vencidas com instituições bancárias e não bancárias.