Juros futuros operam com tendência de alta nos contratos de longo prazo

As taxas dos principais contratos de juros futuros operam estáveis no início dos negócios desta sexta-feira (29), porém com tendência de alta nos contratos mais longos, apesar do mau humor externo. Em um dia de agenda doméstica sem indicadores relevantes, os agentes seguem observando a movimentação do cenário lá fora, que eleva a aversão ao risco.

Na análise da equipe de economistas do Banco Bradesco, para o mercado doméstico de juros futuros, a expectativa é de queda nos vencimentos mais curtos, “em linha com o cenário de desaceleração da atividade doméstica”, assim como nos vencimentos mais longos, “refletindo a pior percepção quanto à atividade global”.

Ainda repercutindo a ata do Copom (Comitê de Política Monetária), o economista-chefe da Prosper, Eduardo Velho, ressalta que a corretora mantém a avaliação que a estratégia mais prudente seria uma nova elevação da taxa básica de juros de 0,25 p.p. para 12,75% em 31 de agosto.

Em sua avaliação, as projeções deverão continuar acima da meta central e além disso, a “autoridade monetária obterá um conjunto de dados mais claros da tendência dos índices de preços (inclusive, fora do seu padrão sazonal, que ainda se beneficiará de uma inflação moderada em agosto) e da atividade econômica, na passagem do terceiro para o quarto trimestre”.

Confiança na indústria cai

Na agenda econômica desta sexta-feira, a FGV (Fundação Getulio Vargas) divulgou a Sondagem Industrial de julho, que mostrou que a confiança da indústria registrou nova queda, de 2%, entre junho e julho de 2011. OICI (Índice de Confiança da Indústria) passou de 107,1 pontos para 105,0 pontos, considerando-se dados com ajuste sazonal.

Essa foi a sétima queda consecutiva do ICI neste ano, que atingiu seu menor nível desde setembro de 2009, quando marcou 103,6 pontos. Além disto, na comparação com o resultado do mesmo período ano passado, o índice apresentou queda de 7,3%.

Contrato de janeiro de 2013 indica taxa de 12,70%

O contrato de juros de maior liquidez nesa sexta-feira, com vencimento em janeiro de 2013, aponta uma taxa de 12,70%, 0,01 ponto percentual acima do fechamento de quinta-feira. O número de contratos negociados chega a 31.372

Outros contratos com bom volume negociado são o com vencimento em janeiro de 2014, que registra taxa de 12,80% e o de janeiro de 2012, com taxa de 12,47%. No fechamento de quinta-feira, as taxas apontadas por estes contratos eram 12,82% e 12,47%, respectivamente.

A seguir confira as taxas dos principais contratos de juros futuros na BM&F: