Magazine Luiza planeja novo futuro após abrir capital

Em maio de 2011, Luiz Trajano abriu o capital da rede de lojas de eletrodomésticos Magazine Luiza. A cerimônia registrou um IPO (sigla para oferta inicial de ações) de R$ 925,785 milhões, uma das maiores do ano. A mudança na gestão do capital obriga a rede a se reestruturar e se expandir pelo país. “Será o ano da consolidação”, diz Luiza Trajano em reportagem da revista AméricaEconomia, da Editora Spring.

Luiza Helena Trajano, nome mais forte para assumir a Secretaria da Micro e Pequena Empresa, vai enfrentar um quadro desfavorável nesta virada para 2012. O lucro líquido da rede no terceiro trimestre de 2011 caiu de R$ 23 milhões para R$ 11,7 milhões se comparado ao mesmo período de 2010. Na bolsa de valores, a queda das ações desde o IPO está na casa dos 37,5%.

A presidente da companhia espera que a crise internacional não afete o consumo e o mercado de capitais no Brasil e que o ano seja a oportunidade para colocar a casa em ordem, depois de duas grandes aquisições – Baú da Felicidade e a rede Maia.

Outra forma de crescer pode ser por meio de aquisições, especialmente na região Norte, onde a empresa ainda não está presente. A companhia também acredita no potencial das lojas virtuais, na qual o cliente escolhe o produto em um ponto comercial e, depois, recebe o produto em casa.

Luiza Trajano cita dois fatores para acreditar no potencial do varejo: o bônus demográfico do país e o crescimento da Classe C. Projetos como “Minha Casa, Minha Vida”, acrescido de medidas de aumento de crédito, influenciam a população a investir em eletrodomésticos e móveis. “É indiscutível que o número de consumidores continuará a crescer”, disse a empresária.

Fonte: Assessoria de Imprensa da Spring Editora