Número de recuperações judiciais bate novo recorde entre janeiro e novembro

As micro e pequenas empresas lideraram os requerimentos de recuperação judicial nos onze meses de 2015, com 589 pedidos

O número de recuperações judiciais requeridas entre janeiro e novembro de 2015 é 46,7% superior ao registrado no mesmo período do ano passado, revela o Indicador Serasa Experian de Falências e Recuperações. Foram 1.137 ocorrências contra 775 apuradas nos onze primeiros meses de 2014. O resultado é o maior para o acumulado dos onze primeiros meses do ano desde 2006, após a entrada em vigor da Nova Lei de Falências (junho/2005).

As micro e pequenas empresas lideraram os requerimentos de recuperação judicial de janeiro a outubro de 2015, com 589 pedidos, seguidas pelas médias (327) e pelas grandes empresas (221).

Na análise mês a mês, o Indicador verificou aumento de requerimentos de recuperação judicial em novembro/2015, em relação a outubro/2015, alta de 19,6% (122 em novembro contra 102 em outubro). Já na comparação entre novembro/2015 e novembro/2014 a alta foi de 114,0% de 57 para 122.

Na verificação mensal de novembro, as MPEs também ficaram na frente com 72 requerimentos, seguidas pelas médias empresas, com 26, e as grandes com 24.

De acordo com os economistas da Serasa Experian, a ampliação do quadro recessivo da economia, o encarecimento das linhas de crédito às empresas e os impactos da alta do dólar sobre os custos produtivos estão minando a capacidade financeira das empresas, impulsionando os requerimentos de recuperações judiciais.

Falências

Nos primeiros onze meses do ano foram realizados 1.654 pedidos de falências no país, um aumento de 7,9% em relação a igual período de 2014, quando foram registrados 1.533. Do total de requerimentos de falência efetuados de janeiro a novembro de 2015, 850 foram de micro e pequenas empresas (de janeiro a novembro/2014 o número foi de 769); 392 de médias empresas (em igual período do ano passado, 381) e 412 pedidos de grandes empresas (em 2014, 383).

Ainda segundo o Indicador, em novembro/2015, foram requeridas 157 falências, aumento de 8,9% em relação ao mês anterior, quando ocorreram 170 solicitações. Já em relação a novembro/2014 (com 128 falências requeridas) a alta foi de 33,6%.

As micro e pequenas empresas foram responsáveis pelo maior número de pedidos de falência em novembro/2015: 85. Em seguida, as médias e grandes, com 43 solicitações cada.

*Confira abaixo tabela completa com os números de falências e recuperações:

Recuperações judicias crescem no país

Recuperações judicias crescem no país

Legenda:

Recuperação Requerida: Quando a empresa entra com o pedido de recuperação em juízo, acompanhado da documentação prevista em lei, e que será analisado pelo juiz. Neste momento, verificará se o pedido poderá ser aceito.

Recuperação Deferida: A documentação foi analisada pelo juiz e está correta e o pedido pode prosseguir para a próxima etapa, que será a apresentação do plano de recuperação, mas isso não significa que a recuperação será concedida.

Recuperação Concedida: Uma vez que passou por todos os passos e cumpridas as exigências de lei, foi acatado o pedido, quando a empresa permanecerá em recuperação judicial até que se cumpram todas as obrigações previstas no plano.

A série histórica deste indicador está disponível em: http://www.serasaexperian.com.br/release/indicadores/falencias_concordatas.htm.

Metodologia

O Indicador Serasa Experian de Falências e Recuperações é construído a partir do levantamento mensal das estatísticas de falências (requeridas e decretadas) e das recuperações judiciais e extrajudiciais registradas mensalmente na base de dados da Serasa Experian, provenientes dos fóruns, varas de falências e dos Diários Oficiais e da Justiça dos estados. O indicador é segmentado por porte.

Você também lê esta notícia em: http://noticias.serasaexperian.com.br/.