Pesquisa Serasa Experian aponta expectativa de um bom Natal, mesmo com menos varejistas esperando faturar mais que em 2010

A Pesquisa Serasa Experian de Perspectiva Empresarial para o Natal 2011 apurou que 55% dos empresários entrevistados esperam aumento do faturamento de seu negócio na data. No Natal de 2010, esse percentual era de 69%. Nesta pesquisa Natal 2011, 31% responderam que vão repetir o faturamento da data de 2010 – o que não é uma má notícia, dado que foi um Natal muito bom –, e 14% acreditam em queda neste ano.

A Pesquisa Serasa Experian de Expectativa Empresarial para o Natal 2011 entrevistou 1.013 varejistas de todo o país e foi a campo de 16 a 24 de novembro.

Na análise por porte, 82% dos entrevistados das grandes empresas do varejo acreditam que seu faturamento aumentará neste Natal, em comparação com igual data de 2010. Compartilham dessa opinião 63% das médias empresas e 55% das pequenas. Por região, a Centro-Oeste tem 62% dos varejistas apostando em aumento de seu faturamento no Natal 2011, em relação à mesma data de 2010. Nessa direção, estão Norte (60%); Sudeste (58%); Nordeste (55%) e Sul (50%).

Presentes que serão oferecidos

Os varejistas de todo o país apontaram os presentes que devem ser mais procurados neste Natal. Aparecem roupas, sapatos e acessórios (34%); celular e smartphone 18%; eletrônicos 14%; brinquedos 8%; perfumaria e cosméticos 7%; eletrodomésticos 7%; equipamentos de informática 3%; cesta de Natal 4%; bebidas 1%; joias, relógios e canetas 1%; títulos de Blu ray, DVD, álbuns CD e livros 1%; peru, tender, chester, pernil 1% e outros 1%.

Os presentes mais dados no Natal 2010 foram: 30% roupas, sapatos e acessórios; 23% celular e smartphone; 20% eletrônicos; 9% brinquedos; 4% perfumaria e cosméticos; 7% eletrodomésticos; 1% equipamentos de informática; 2% cesta de Natal; 1% bebidas; 1% títulos de blu ray, DVD , álbuns de CD e livros; 1% jogos eletrônicos e 1% outros.

Gastos com presentes

Na opinião dos varejistas, os gastos com presentes serão assim dispostos: 26% até R$ 50; 39% de R$ 51 a R$ 100; 22% de R$ 101 a R$ 200; 7% de R$ 201 a R$ 300; 4% de R$ 301 a R$ 500 e 2% acima de R$ 500. Foi a primeira vez que esta pergunta foi apresentada na pesquisa de Natal.

Composição das vendas

Neste Natal 49% das compras serão feitas à vista e 51% a prazo. No Natal 2010, 51% das compras foram à vista e 49% a prazo.

Meios de pagamento X Neste Natal, as vendas à vista serão compostas por 42% em dinheiro; 25% cartão de crédito; 19% cartão de débito; 13% cheque e 1% cartão da própria loja. Das compras a prazo, 48% serão por meio de cartão de crédito parcelado; cheque pré-datado 25%; financiamento ou crediário 19%; cartão da loja parcelado 2%; cartão de débito parcelado 2% e outros 2%.

No Natal 2010, as compras à vista foram 36% em dinheiro; 25% em cartão de crédito; 19% em cartão de débito; 16% em cheques; 3% cartão da própria loja e 1% em outros. Nas vendas a prazo, 46% em cartão de crédito parcelado; 29% cheque pré-datado; 16% financiamento ou crediário; 5% cartão de débito parcelado; 3% cartão da própria loja parcelado e 1% outros.

Prazos de pagamento

Neste Natal, a pesquisa apontou que o prazo médio no cheque pré-datado, no cartão de crédito e financiamento ou crediário deve repetir o verificado na data do ano passado. Os prazos médios são de 4 parcelas com cheque pré-datado; no cartão de crédito e financiamento ou crediário, em até 6 parcelas.

Comentários

A Pesquisa Serasa Experian de Expectativa Empresarial para o Natal 2011 mostra uma parcela (55%) de varejistas que esperam aumento no faturamento pouco acima do registrado na mesma data de 2009 (53%), período de crescimento econômico, no pós-crise. De qualquer forma, será um bom Natal, por conta dos 31% que esperam repetir o faturamento do Natal 2010.

Isso evidencia que a política monetária restritiva aplicada por todo o terceiro e parte do quarto trimestre afetou a expectativa do varejista. Além disso, há um endividamento maior da população, com inadimplência ainda alta e juros elevados, apesar do recente ciclo de redução dos juros.

Por essas razões, sobem as expectativas de vendas de produtos com maiores opções de preços, a exemplo de roupas, sapatos e acessórios e perfumarias e cosméticos. Na pesquisa nota-se que 65% dos presentes custarão até R$ 100. x Na composição de pagamento, nota-se o crescimento das opções de pagamento a prazo. Nos meios de pagamento, a parcela dos pagamentos em dinheiro continua elevada, alternativa para consumidores mais endividados. Nas vendas a prazo os cartões de crédito parcelado continuam subindo.

Cabe destacar que mesmo realizada antes da medida de estímulo ao consumo via redução do IPI, a Pesquisa Serasa Experian abrange todos os setores do varejo e que eletrodoméstico é uma compra programada e não feita por impulso.

Metodologia

A Pesquisa Serasa Experian de Expectativa Empresarial para as datas comemorativas do varejo começou a ser desenvolvida em 2005. Trata-se de um levantamento estatístico com uma amostra de empresas representativas do setor do comércio, dos portes pequeno, médio e grande e das regiões Norte, Nordeste, Centro-Oeste, Sudeste e Sul.