Pontualidade de pagamento das micro e pequenas cai pelo sétimo mês seguido

A pontualidade de pagamento das micro e pequenas empresas atingiu 95,3% em setembro de 2011. Isto significa que, durante o mês passado, a cada 1.000 pagamentos realizados, 953 foram quitados à vista ou com atraso máximo de sete dias. Na comparação com o mesmo mês do ano passado (setembro/10), a pontualidade de pagamentos recuou 0,2 ponto percentual (estava em 95,5% em setembro/10). Foi a sétima queda interanual consecutiva deste indicador. Já na comparação com o mês imediatamente anterior (agosto/11), a pontualidade de pagamento cresceu 0,1 ponto percentual.

De acordo com os economistas da Serasa Experian, o atual processo de desaceleração econômica tem pressionado a geração de caixa das micro e pequenas empresas, dificultando os pagamentos em dia dos seus compromissos financeiros. Entretanto, a atual trajetória de redução dos juros poderá trazer algum alívio em termos de custo financeiro para as micro e pequenas empresas no curto prazo, e impedir novas quedas anuais, à frente, nas suas pontualidades de pagamentos.

O setor comercial vem apresentando os maiores níveis de pontualidade de pagamentos, atingindo em setembro/11 o patamar de 95,7%, o maior de toda a série histórica. No setor de serviços, a pontualidade de pagamentos em setembro/11 foi de 94,8% e, nas micro e pequenas empresas industriais, a pontualidade foi de 94,7%. Na verdade, são as quedas anuais na pontualidade de pagamentos das empresas industriais (recuo de 0,5 ponto em relação a setembro/10) que estão puxando para baixo a pontualidade de pagamentos média das micro e pequenas empresas. O adverso quadro externo e o câmbio mais valorizado este ano do que no ano passado tem prejudicado o desempenho das empresas exportadoras, acarretando maiores dificuldades em honrar em dia seus compromissos.

O valor médio dos pagamentos efetuados pontualmente pelas micro e pequenas empresas durante o mês de setembro/11 atingiu R$ 1.717,32, alta de 1,4% em relação ao verificado no mês imediatamente anterior (agosto/11). No acumulado dos primeiros nove meses de 2011, em relação ao mesmo período do ano passado, o valor médio dos pagamentos pontuais elevou-se em 8,5% (R$ 1.614,96 contra R$ 1.488,18), com altas de 8,1% no setor de comércio, 5,1% no setor industrial e de 20,5% nas empresas do setor de serviços.

A menor pontualidade e o menor crescimento, em valor, dos pagamentos pontuais efetuados são indícios de que as micro e pequenas empresas industriais, em função do cenário externo mais adverso e da concorrência com os importados, estão tendo maiores dificuldades em quitar seus compromissos em dia, salientam os economistas da Serasa Experian.

Metodologia do Indicador Serasa Experian da Pontualidade de Pagamentos das Micro e Pequenas Empresas

O Indicador Serasa Experian da Pontualidade de Pagamentos das Micro e Pequenas Empresas é construído através dos pagamentos efetuados, mensalmente, por amostra de cerca de 600.000 micro e pequenas empresas, totalizando uma quantidade de, aproximadamente, 8 milhões de pagamentos registrados mensalmente, por seus fornecedores, nas bases de informações sobre pessoas jurídicas da Serasa Experian. O indicador é segmentado por setor econômico e inicia-se em janeiro de 2006. A Serasa Experian considera como micro e pequenas empresas aquelas cujo faturamento líquido anual não ultrapassa o montante de R$ 4 milhões.