Produção sobe em 11 de 14 regiões, diz IBGE

Tirando Espirito Santo, Rio de Janeiro e Santa Catarina, a produção industrial brasileira cresceu em todos os locais pesquisados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em maio ante abril. Os destaques positivos ficaram para regiões de Goiás (15%), Bahia (4,5%), Amazonas (3,9%), Paraná (3,6%), Pará (2,7%), São Paulo (1,9%) e Ceará (1,6%). Nestas localidades, as taxas de aumento na atividade industrial ficaram acima da média de crescimento da indústria para o mesmo período (1,3%).

As outras variações positivas foram registradas no Nordeste (1,1%), Pernambuco (0,8%), Minas Gerais (0,7%) e Rio Grande do Sul (0,4%). Espírito Santo caiu 0,3%, Rio de Janeiro 1,8% e Santa Catarina 2,4%.

A atividade industrial brasileira em maio foi impulsionada por São Paulo, que representa em torno de 40% da indústria nacional. Segundo o gerente da Coordenação da Indústria do IBGE, André Macedo, assim como ocorreu no cenário nacional, a produção paulista mostra avanço na margem, mas com sinais de desaceleração no acumulado.

A produção industrial em São Paulo subiu 1,9% em maio ante abril, acima da média nacional (1,3%), e registra taxas acumuladas de 2,6% no ano e de 4,7% em 12 meses. Na ponta, a indústria paulista mostrou desempenhos positivos nas áreas de alimentos, produtos de metal, máquinas e equipamentos e veículos automotores. Estes são os mesmos setores que contribuíram positivamente para o saldo positivo da indústria nacional, no período.

No acumulado de 12 meses, a atividade industrial em São Paulo mostra perda de força. A alta em 12 meses da indústria paulista já havia desacelerado de 6,9% em março para 5,4% em abril.