Relatório Focus desta semana eleva projeções para a inflação e para a Selic

A mais nova edição do relatório Focus do Banco Central, divulgada nesta segunda-feira (11), reflete o resultado acima das expectativas do IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo) em junho e tem como destaque o aumento nas projeções para esse índice, tanto para a inflação de julho como também para o acumulado do ano.

A mediana das projeções dos economistas ouvidos pela autoridade monetária indica que o resultado de julho do IPCA – índice que é utilizado pelo Governo como referência para o sistema de metas de inflação – deverá registrar taxa de 0,20%, ao passo que no acumulado do ano, a variação seria de 6,31%, apenas 0,19 ponto percentual abaixo do teto da meta para este ano. Na edição anterior, as taxas indicadas eram de 0,16% e 6,15%, pela ordem.

Já as projeções para os outros índices de inflação incluídos no relatório seguem em queda, tanto para o resultado de julho como também para o acumulado do ano. O destaque fica por conta das estimativas para o IGP-M (Índice Geral de Preços – Mercado), que segundo os economistas ouvidos pelo BC, deverá apontar taxa de 0,12% em julho e de 5,94% no acumulado de 2011.

Política monetária

Além disto, os economistas também já esperam por um ciclo de aperto monetário maior, com a taxa básica de juro fechando 2011 a 12,75% ao ano. Desta forma, o Copom (Comitê de Política Monetária) ainda faria um aumento de 0,50 ponto percentual da taxa Selic neste ano. Na edição anterior do relatório Focus, a expectativa era que o comitê ainda fosse elevar o juro básico em 0,25 ponto percentual neste ano.

Para a reunião do Copom que vai acontecer nos próximos dias 19 e 20, a expectativa é que seja decidido uma elevação de 0,25 ponto percentual da Selic, que passaria dos atuais 12,25% ao ano para 12,50% ao ano.

PIB, câmbio e outras projeções

Para o resultado do PIB (Produto Interno Bruto) neste ano, a mediana das projeções dos economistas aponta para um crescimento de 3,94% da economia, enquanto em 2012, o crescimento seria de 4,10%. Ambas as estimativas ficaram estáveis na comparação com a edição anterior do relatório Focus.

Em relação ao mercado de câmbio, que na última semana viu o dólar atingindo patamares de mínima que não eram registrados desde 1999, as projeções indicam que a divisa norte-americana deverá fechar o mês de julho cotada a R$ 1,57, enquanto ao final do mês seguinte, a cotação seria de R$ 1,58. Para o final do ano, a expectativa é que o dólar esteja valendo R$ 1,60.

Por fim, entre outros indicadores econômicos projetados pelo Focus, os economistas esperam que a balança comercial termine este ano com um saldo de US$ 20,06 bilhões. Ao mesmo tempo, a produção industrial deverá registrar crescimento de 3,28%.

Confira abaixo a previsão para os principais indicadores da economia brasileira:

Julho/2011 2011 2012
1/7 Atual 1/7 Atual 1/7 Atual
IPCA 0,16% 0,20% 6,15% 6,31% 5,10% 5,20%
IGP-DI 0,29% 0,21% 5,91% 5,76% 5,00% 5,00%
IGP-M 0,22% 0,12% 6,01% 5,94% 5,00% 5,00%
IPC-Fipe 0,29% 0,26% 5,77% 5,57% 4,79% 4,80%
PIB 3,94% 3,94% 4,10% 4,10%
Balança Comercial US$ 20,00 bi US$ 20,06 bi US$ 10,10 bi US$ 10,00 bi
Saldo em Conta Corrente US$ -59,75 bi US$ -60,00 bi US$ -70,00 bi US$ -70,00 bi
Investimento Estrangeiro US$ 52,00 bi US$ 52,20 bi US$ 45,00 bi US$ 47,50 bi
Taxa de Câmbio R$ 1,58 R$ 1,57 R$ 1,60 R$ 1,60 R$ 1,69 R$ 1,68
Dívida Líquida Setor Público (% PIB) 39,26% 39,26% 38,00% 38,00%
Produção Industrial 3,34% 3,28% 4,50% 4,38%
Taxa Selic (% a.a.) 12,50% 12,50% 12,50% 12,75% 12,50% 12,50%

Fonte: Banco Central