Requerimentos de recuperação judicial

Número de recuperações requeridas em julho também é o maior já registrado pelo Indicador Serasa Experian de Falências e Recuperações

De acordo com Indicador Serasa Experian de Falências e Recuperações, nos sete primeiros meses de 2015, as recuperações judiciais requeridas totalizaram 627 ocorrências. Este patamar é recorde para o acumulado dos sete primeiros meses do ano desde 2006, após a entrada em vigor da Nova Lei de Falências (junho/2005).

As micro e pequenas empresas lideraram os requerimentos de recuperação judicial de janeiro a julho de 2015, com 323 pedidos, seguidos pelas médias (174), e pelas grandes empresas (130).

Julho também registrou um número recorde de requerimentos de recuperação judicial em relação a todos os meses de julho desde o início da série histórica do indicador: 135, um aumento de 28,6% em relação ao mês anterior, quando foram requeridas 105 recuperações.

Novamente as micro e pequenas empresas ficaram em primeiro lugar no número de requerimentos em julho, com 68. Em seguida, as grandes empresas, com 40, e as médias empresas, com 27.

De acordo com os economistas da Serasa Experian, a solvência das organizações tem sido impactada negativamente com os aumentos nas despesas financeiras das organizações, geradas, principalmente, pelas elevações das taxas de juros e, no aumento do endividamento em moeda estrangeira das empresas que têm contratos indexados ao dólar, derivado da elevação da taxa de câmbio. Além disso, o atual quadro recessivo da atividade econômica dificulta também a geração de caixa das empresas, agravando sua situação financeira.

*Confira abaixo tabela completa com os números de falências e recuperações:

Em relação aos pedidos de falência, nos primeiros sete meses do ano, foram realizados 971 em todo o país, representando um aumento de 4,1% em relação aos 933 requerimentos efetuados no mesmo período de 2014.

Dos 971 requerimentos de falência efetuados de janeiro a julho de 2015, 499 foram de micro e pequenas empresas, alta de 6,9%, comparado ao mesmo período de 2014, quando foram requeridos 467; 216 de médias empresas (recuo de 8,9% em relação a 2014, quando o número foi de 237) e 256 de grandes empresas (alta de 11,8% em relação a 2014, quando o número foi de 229).

Ainda segundo o Indicador, julho teve um número de falências requeridas 8,8% maior em relação a junho/2015: foram realizados 173 pedidos em todo o país contra 159 do mês anterior. O número também é superior ao de julho do ano passado, quando foram requeridos 141 pedidos de falência. As micro e pequenas empresas foram responsáveis pelo maior número de pedidos em julho/2015: 89. Em seguida, as grandes empresas, com 49 solicitações, e as médias, com 35.

A série histórica deste indicador está disponível em http://www.serasaexperian.com.br/release/indicadores/falencias_concordatas.htm.

Metodologia

O Indicador Serasa Experian de Falências e Recuperações é construído a partir do levantamento mensal das estatísticas de falências (requeridas e decretadas) e das recuperações judiciais e extrajudiciais registradas mensalmente na base de dados da Serasa Experian, provenientes dos fóruns, varas de falências e dos Diários Oficiais e da Justiça dos estados. O indicador é segmentado por porte.

Você também lê esta notícia em: http://noticias.serasaexperian.com.br/.