Setor de serviços tem o maior número de recuperações judiciais em 2015

Estudo feito pela Serasa Experian, que abrange os anos de 2005 a 2015, mostra que os setores de comércio, indústria e serviços bateram recorde histórico em recuperações judiciais requeridas no ano passado. O levantamento abrange os meses de janeiro a dezembro de cada ano. No total, foram 1.287 recuperações judiciais requeridas em 2015, número 55,4% maior do que em 2014, quando foram registradas 828 solicitações.

A recuperação judicial requerida representa o momento em que a empresa entra com o pedido de recuperação em juízo, acompanhado da documentação prevista em lei, e que será analisado pelo juiz. Neste momento, a Justiça verificará se o pedido poderá ser aceito.

O setor de serviços foi o que mais apresentou recuperações requeridas em 2015, com 480 pedidos, seguido do comércio, com 404, e da indústria, com 359. Segundo os economistas da Serasa Experian, o aprofundamento da recessão econômica, os custos do crédito cada vez mais elevados e a alta acumulada do dólar neste ano estão impondo dificuldades financeiras às empresas, seja pelo enfraquecimento da geração de caixa (recessão), seja pela elevação de custos (juros e dólar).

Neste ambiente, a solvência empresarial fica pressionada, culminando em aumentos nos pedidos recuperações judiciais e acarretando no recorde histórico para os três setores. O recorde anterior, para indústria e serviços, havia sido registrado em 2013, quando o número chegou a 271 para a indústria e 322 para serviços. Já o setor de comércio teve seu pico de recuperações judiciais em 2014, com 279 pedidos.

Recuperações Judiciais Requeridas – Janeiro a Dezembro

2005

2006

2007

2008

2009

2010

2011

2012

2013

2014

2015

Comércio

36

105

95

112

242

193

179

246

261

279

404

Indústria

33

107

100

124

218

153

180

233

271

246

359

Serviços

41

62

73

71

184

117

137

265

322

274

480

Em 2015, o número de recuperações judiciais deferidas também foi recorde para os últimos dez anos, chegando a 1.044, com o setor de serviços novamente encabeçando a lista, com 415 deferimentos, comércio com 299 e indústria com 292.

O estudo também revelou que, entre 2005 e 2015, o ano de 2014 teve o maior número de recuperações judiciais concedidas, com total de 323, sendo que indústria (127) e comércio (84) foram recordes para o período. Já o setor de serviços alcançou o maior número de recuperações judiciais concedidas em 2015, com 114.

Falências

O estudo também aponta que o número de falências requeridas nos três setores, entre os meses de janeiro e dezembro de 2005 a 2015 teve seu recorde histórico em 2005, com 9.548 requisições. Naquele ano, o setor de comércio recebeu 4.081 solicitações de falência, a indústria 2.896 e serviços 2.520. Vale lembrar que em junho de 2005 entrou em vigor a Nova Lei de Falências.

Falências Requeridas – Janeiro a Dezembro

2005

2006

2007

2008

2009

2010

2011

2012

2013

2014

2015

Comércio

4.081

1.412

937

716

675

581

538

529

440

355

416

Indústria

2.896

1.480

926

778

874

699

620

710

614

648

644

Serviços

2.520

1.265

842

709

776

634

567

678

679

642

700

Da mesma forma, 2005 também foi o ano com o maior número de falências decretadas nos últimos dez anos, com 2.876 determinações. Naquele ano, o comércio teve 1.590 falências decretadas, a indústria 680 e serviços 597.

Metodologia

O estudo inédito de falências e recuperações por setor foi construído a partir do levantamento mensal das estatísticas de falências (requeridas e decretadas) e das recuperações judiciais e extrajudiciais registradas mensalmente na base de dados da Serasa Experian, provenientes dos fóruns, varas de falências e dos Diários Oficiais e da Justiça dos estados.